“Só conhece a quentura da panela quem está nela”, diz Arnaldinho sobre problemas da Educação e da Saúde

No horário reservado aos oradores da Câmara de Vila Velha, durante as “Explicações Pessoais”, na sessão desta quarta-feira (27/06), o vereador Arnaldinho Borgo (PMDB) repercutiu o debate promovido pouco antes pelos colegas PM Chico (PHS), Ivan Carlini (DEM), Reginaldo Almeida (PSC), Valdir do Restaurante (Avante), Professor Heliosandro Mattos (PR), Tia Nilma (PRP), Ricardo Chiabai (PPS) e Osvaldo Maturano (PRB).

 A discussão dos parlamentares foi sobre a comissão formada pela PMVV, com a participação de vereadores, para acompanhar o processo de compra do imóvel pertencente à CNEC, no Ibes, onde o município deverá instalar uma nova creche. 

“Só conhece a quentura da panela quem está nela. Eu conheço a quentura da panela porque estou nas ruas todos os dias, ouvindo o povo reclamar dos problemas que enfrentam na área de Educação, por falhas na gestão do secretário da pasta, mais conhecido na cidade como ‘Zé Gambiarra’, por fazer gambiarras nas escolas municipais que tem visitado, ao lado representantes das duas empresas que ele colocou para prestar serviços à Secretaria Municipal de Educação. Mas vamos fiscalizar essas gambiarras e auditar esses contratos”, garantiu.

Arnaldinho também criticou a solenidade promovida pelo prefeito Max Filho (PSDB), recentemente, para entregar tablados com cestas de basquete em uma escola do município.


“Se a Administração faz evento para festejar esse tipo de entrega, fico imaginando como será a festa da PMVV quando o secretário ‘Gambiarra’ entregar os uniformes escolares às crianças que estudam nas unidades da Rede Municipal, caso isso realmente venha a acontecer, porque até hoje – e já estamos na metade do ano letivo – os alunos de Vila Velha continuam sem uniformes”.


O vereador voltou a expressar sua preocupação com a falta de remédios para distribuição popular e lamentou que as unidades municipais de saúde estejam sem refrigeradores para garantirem o acondicionamento adequado de certos medicamentos, incluindo vacinas.

“No entanto, além desta Administração falida ter reservado um orçamento de R$ 6 milhões para gastar com propaganda, a Secretaria Municipal de Saúde destinou mais R$ 1,8 milhão para adquirir material de publicidade, enquanto faltam remédios para o povo e as unidades de saúde estão sem equipamentos para armazenar os medicamentos. Isso é um absurdo. Chega dessa política antiga. A sociedade não suporta mais isso e a resposta do povo para estes abusos será dada nas próximas eleições”.

Confira este pronunciamento na íntegra, assistindo o vídeo a seguir:


 

Departamento de Comunicação
Câmara Municipal de Vila Velha 
Editor Chefe: 
Claudio Figueiredo
Jornalista: Kárita Iana
Imagens/vídeo: Eder Denadai
Fotos: Léo Victor
Tel.: 
(27) 3349-3252
comunicacao@vilavelha.es.leg.br