Comunidade de Paul pede socorro por falta de atendimento médico

Por iniciativa da vereadora Tia Nilma (PRP), a Câmara de Vila Velha promoveu, na sessão desta quarta-feira (11/04), uma Tribuna Livre com a participação do presidente do Movimento Comunitário de Paul, Geremias Lima Wyatt, que usou o espaço para relatar aos parlamentares do município a situação dramática e preocupante vivida pelos moradores locais, devido à interdição da Unidade de Saúde do bairro, que já se arrasta por quase cinco meses, deixando a população sem assistência médica.

Segundo Geremias, em dezembro do ano passado, a Defesa Civil de Vila Velha interditou o imóvel onde funcionava a Unidade Básica de Saúde de Paul, devido ao risco de desabamento de uma residência situada logo atrás do prédio.


“Desde aquele dia, a unidade parou de funcionar. Diante do problema, a Secretaria de Obras da PMVV ficou de realizar uma obra emergencial para evitar o desabamento do muro da referida casa, que ameaçava cair por causa de uma infiltração de água que corroeu sua estrutura. Mas nada foi feito”, disse ele.

E Geremias completou: “Depois de cobrarmos providências, a PMVV então pediu pra gente procurar algum outro imóvel disponível para locação, na região, para que nossa Unidade de Saúde pudesse funcionar provisoriamente, enquanto durasse a interdição. Fizemos isso. Indicamos vários imóveis e o mais apropriado, para sediar os serviços da Unidade de Saúde, foi um prédio da igreja Assembleia de Deus. Mas quando já estava tudo certo para a assinatura do contrato de locação, a prefeitura recuou, alegando que o valor do aluguel estava muito caro e que o imóvel precisaria receber algumas reformas. E mais uma vez ficamos na mão. Apesar do esforço dos vereadores Arnaldinho, Patrícia e Anadelso, a Administração não tomou nenhuma providência e mesmo a comunidade indicando vários outros imóveis, como alternativa, até hoje o impasse permanece”.

O presidente do Movimento Comunitário de Paul relatou, ainda, que por falta de acesso aos serviços médicos, os moradores locais passaram a buscar atendimento nas unidades de saúde dos bairros vizinhos, que são pequenas e que, em função da superlotação e da sobrecarga de trabalho, estão prestando um serviço de baixa qualidade, gerando uma indignação ainda maior na população.


“Algumas unidades, inclusive, estão deixando de atender os moradores de Paul, para dar prioridade aos pacientes que moram nos bairros onde elas se localizam. Outro problema é o estado precário de conservação da nossa Capela Mortuária. É uma vergonha velar o corpo de um ente querido naquelas condições. Diante deste quadro lamentável, os moradores do bairro – já não suportam mais a situação – estão propensos a ir para as ruas, fazer protestos e manifestarem sua indignação”, disse Geremias Wyatt.

Em seguida, a proponente da Tribuna Livre, vereadora Tia Nilma, se posicionou acerca da situação e disse que o descaso da Administração Municipal não é apenas com a comunidade de Paul, mas com os moradores de todas as regiões da cidade. “Hoje, durante nossa sessão, ouvimos os vereadores fazendo várias críticas à PMVV, pelas graves falhas na prestação de serviços aos nossos cidadãos. O povo – que é o patrão dos gestores públicos –, apesar de pagar uma pesada carga de impostos, não recebe, como contrapartida do município, a devida atenção e o amparo necessário”, assinalou ela.

 

A vereadora também sugeriu que a Câmara forme uma comissão de vereadores para intervir junto às autoridades municipais, visando cobrar agilidade na adoção das providências cabíveis, em relação ao bairro Paul. “O município está desgovernado, mas vamos bater nas portas do prefeito e vamos exigir respostas para o sofrimento dos moradores de Paul, que não podem mais ficar à mercê da própria sorte”, disse ela, citando como exemplo um fato lamentável ocorrido no final de dezembro do ano passado, quando uma criança de apenas sete anos faleceu em decorrência do agravamento de uma apendicite, que não foi diagnosticada pelos médicos, mesmo após quatro consultas no Pronto Atendimento da Glória. Segundo Tia Nilma, os médicos disseram para a mãe do menino que ele estava cheio de vermes. E pouco tempo depois, a criança acabou morrendo por causa das complicações provocadas pela apendicite supurada.

 

Em seguida, o vereador Arnaldinho Borgo usou a palavra para apoiar a luta dos moradores de Paul e para repudiar, mais uma vez, a falta de organização, de planejamento e de gestão administrativa do município que, em decorrência da incapacidade e do descaso do prefeito Max Filho, não consegue colocar os serviços públicos para funcionarem adequadamente na cidade, deixando a população sem respostas para suas reivindicações. Ele encerrou sua participação elencando vários problemas e deficiências da PMVV, que causam transtornos e sofrimento aos moradores de Vila Velha, e se colocando à disposição da comunidade de Paul para ajudar no que for possível, inclusive acionando o Ministério Público.

*Assista o vídeo abaixo e confira esta Tribuna Livre na íntegra:


 

Departamento de Comunicação
Câmara Municipal de Vila Velha 
Editor Chefe: 
Claudio Figueiredo
Jornalista: Kárita Iana
Imagens/vídeo: Eder Denadai
Fotos: Léo Victor
Tel.: 
(27) 3349-3252
comunicacao@vilavelha.es.leg.br