Comunidade de Paul pede socorro ao município em Tribuna Livre na Câmara

Por iniciativa da vereadora Tia Nilma (PRP), a Câmara de Vila Velha realizou, no final da sessão desta segunda-feira (04/06), uma Tribuna Livre com a participação dos líderes comunitários Gilson Vieira Lopes Júnior e Paulo César Froes, respectivamente, presidente e vice-presidente da Associação de Moradores do Bairro Paul.

No evento, os representantes de Paul pediram socorro aos vereadores do município e às autoridades da atual Administração, para que pressionem o prefeito a buscar soluções para os problemas da comunidade e, principalmente, para agilizar a reativação da Unidade de Saúde de Paul, que está fechada há sete meses.

Segundo o presidente da Associação de Moradores de Paul, Gilson Vieira Lopes Júnior, a unidade foi interditada porque o muro de um imóvel vizinho estava ameaçando desabar. “A PMVV ficou de alugar temporariamente um outro imóvel localizado na região, para manter os serviços da unidade de saúde funcionando, mas como nada aconteceu até agora, os moradores continuam sofrendo por falta de atendimento médico e por não terem a quem recorrer”, lamentou. 

E Gilson completou: “Quando a gente anda nas ruas e a população nos cobra providências sobre nossa unidade de saúde, somos obrigados a dizer que, devido ao descaso das autoridades e à falta de respostas aos requerimentos de informações que protocolamos na Secretaria Municipal de Saúde, não temos qualquer notícia sobre como anda este processo e, infelizmente, não sabemos nem quando a atual Administração realmente vai resolver este problema”.

O líder comunitário afirmou, ainda, que devido à interdição da Unidade de Saúde de Paul, moradores de bairros vizinhos que sempre foram atendidos no local (como Morro do Atalaia, Ilha das Flores, Argolas, Chácara do Conde e Dom João Batista, entre outros) estão sendo obrigados a tentarem atendimento em outras unidades da região, mas sem sucesso: “Chegando nas outras unidades, esses moradores são barrados ainda na fase de triagem, sob a alegação de que a prioridade no atendimento é para quem reside no próprio bairro onde as unidades se localizam. Isso é muito constrangedor e expõe os pacientes à uma situação de total abandono por parte do município”.

Gilson Júnior também exibiu imagens no telão do plenário, para que os vereadores pudessem conferir a situação precária de Paul. Ele mostrou diversas ruas tomadas pelo matagal, sem iluminação, sem pavimentação (ou com pavimentação irregular) e sem calçadas. Também mostrou problemas da praça pública, da academia popular e da Capela Mortuária do bairro, devido à falta de manutenção, e fez um pedido para que a Câmara de Vila Velha intervenha junto ao Poder Executivo, com o propósito urgente de fazer com que este triste retrato da realidade dos moradores de Paul e da região vizinha, possa mudar.

Em seguida, o vice-presidente da Associação de Moradores de Paul, Paulo César Froes, também usou a palavra para relatar outros problemas que afligem a comunidade e que requerem providências por parte da PMVV: “Já estive aqui nesta Casa por duas vezes, anteriormente, apresentando as demandas do nosso bairro. Mas como os vereadores, infelizmente, não têm o poder da caneta e não podem ordenar despesas, nada mudou desde então. A companhia responsável pelos tanques de combustíveis instalados na região continua dificultando sua saída do bairro e as 20 empresas do bairro, que atuam na área de operações portuárias, nunca cumpriram suas condicionantes ambientais”, queixou-se.

Froes disse, ainda, que de acordo com informações não oficiais, 65% dos impostos arrecadados pelo município de Vila Velha são provenientes de atividades comerciais de empresas com sede em Paul. Segundo ele, mesmo com tamanha importância econômica e social para a cidade, Paul – que é um dos bairros mais antigos da cidade e que hoje possui aproximadamente 53 mil eleitores –, continua sem receber a atenção e o respeito que merece, por parte da Administração Municipal.

“Mesmo gerando tantas divisas a partir das operações de importação e exportação realizadas pelo complexo portuário situado no bairro, Paul não tem a contrapartida que deveria ter do município – nem em termos de obras, de serviços públicos e de melhorias urbanas, e nem em termos de novos investimentos e de controle ambiental. Não sabemos como os impostos gerados no bairro são aplicados e nem qual a prioridade que temos dentro do planejamento da PMVV. Por isso, mais  uma vez, nossa comunidade pede socorro”, encerrou Paulo César Froes.

Ao final dos trabalhos da Câmara de Vila Velha, Tia Nilma – proponente da Tribuna Livre com a participação das lideranças de Paul –, e os vereadores Ricardo Chiabai e Patrícia Crizanto, que também se pronunciaram sobre a difícil situação enfrentada pela comunidade local, colocaram seus gabinetes à disposição e se comprometeram em somar forças com os demais parlamentares da Casa, com o objetivo de intensificar a luta pela reativação da Unidade de Saúde do bairro.

Os vereadores também assumiram a missão de procurarem o secretário de Saúde da PMVV, Jarbas Ribeiro de Assis Júnior – e também o prefeito Max Filho, se for necessário – para obterem as informações solicitadas pela Associação de Moradores de Paul e para buscarem respostas sobre o que será feito em relação aos graves e urgentes problemas daquele importante bairro.

Departamento de Comunicação
Câmara Municipal de Vila Velha 
Editor Chefe: 
Claudio Figueiredo
Jornalista: Kárita Iana
Imagens/vídeo: Eder Denadai
Fotos: Léo Victor
Tel.: 
(27) 3349-3252
comunicacao@vilavelha.es.leg.br