Confusão que fazem com a história de Vila Velha

Divulgação de pesquisa, feita com quem não sabe bem do assunto, dá informação incorreta sobre Vila Velha. Em grande Jornal da capital saiu matéria sobre os 70 anos da última emancipação de V.Velha e cabe esclarecer : 1) A consideração divisão da província e depois estado, em municípios ( ente que não adquire personalidade jurídica ) já vinha de muitos e muitos anos atras , e o município do Espirito Santo ( Vila Velha) já era individualizado e sua principal freguesia era a Vila do Esp. Santo, hoje V Velha ( Prainha) portanto já existia dessa forma bem antes de 1896 e não foi nesse ano que surgiu. 2) Em 1896 já na república o que houve em 30 de novembro (data que consta até do brasão )apenas houve a elevação da Vila à categoria de Cidade por Lei Estadual. Aumentou com isso o nº de vereadores de 5 para 7. 3) O nome da principal freguesia passou a chamar-se oficialmente então de “Cidade do Espírito Santo”. 4) O nome depois passou depois para Espirito Santo apenas, e foi em 1958 e não em 1959 que Veloso passou unilateralmente por lei municipal para o nome de Vila Velha oficializando a forma como o povo se entendia onde morava. 5) Curioso que tal fato foi rejeitado pelo governo do estado que custou aceitar a mudança do nome, enquanto não passasse pela Ass. Legislativa . ( a conferir se passou ou não até hoje ) 6) A água em 1910 foi trazida do rio Pau Amarelo de Cariacica perto de Duas Bocas, e não do rio Jucú. Na época a água vinha limpa e não era tratada, e a do rio Jucu era turva e mais suja, e não tinham mesmo condição a de fazer o tratamento. A estação de tratamento de Cobi só surgiria por volta de 1956. 7) Na revolução de outubro 1930 houve a destituição do prefeito Godofredo Schinaider, e entrou uma junta governativa, um triunvirato, na Prefeitura, que no final ficou na mão de Eugênio Pacheco de Queiroz que ficou como interventor nomeado. A prefeitura acabou sendo extinta quando da anexação do município a Vitória. 8) O interventor estadual capitão Bley fez decreto lei acabando com a autonomia de Vila Velha que virou distrito, e transferiu a barra do Jucú para Viana (que passou a chamar-se Jabaeté) e não para Caricacica. E isso já em 27.4.1931 . E é claro que com isso acabou com a câmara dos vereadores. 9) Tudo voltou ao normal em 11.7.1934 para frente; e em 10.11.37 por força do Estado Novo de Getúlio que fechou quase tudo, o mesmo Eugênio Pacheco de Queiroz, de novo foi nomeado interventor na Prefeitura de Vila Velha, que assim ficou até 31.12.43, quando novamente Vila Velha foi incorporada a Vitória, agora por ato de Getúlio, virando distrito , de novo. 10) A Prefeitura de Vitória, construiu uma agência no centro de Vila Velha para administrar o distrito. 11) Em 27.7.1947, daí os 70 anos, é que houve a última emancipação, e foi conseguida pelo Deputado Estadual Saturnino Mauro, quando da elaboração da constituição estadual desse ano, e “pelas gatas” conseguiu que nos atos adicionais dessa constituinte restabelecesse a autonomia de Vila Velha, quando um interventor foi nomeado para reorganizar a Prefeitura que ficou funcionando no prédio da referida agência acima citada. É preocupante , que a matéria teve repercussão; e tinha muita gente procurando o jornal para recortar e guardar, que infelizmente está com falhas ! E olha , esse vai e vem de Vila Velha, chegou ao ponto que em meados dos anos 90 do século XX , devido a outras escaramuças, na imprensa, levou a sair nota dizendo que o povo não sabia quem era o Prefeito da cidade !

: 25/07/2017 18h33
: Faltando: reclamaassapso
: Ouvidoria
: 20170725183322
: Resolvida

Respostas

1

: schenilton
: 25/07/2017 18h41
: Tramitando

Em breve entraremos em contato!!!

2

: heliosandro
: 05/09/2017 16h47
: Tramitando

Boa tarde, prezado!

Agradecemos grandemente pela contribuição com a verdadeira história da cidade de Vila Velha.

Estamos acompanhando todas as publicações nesse sentido e, na medida do possível, estaremos trabalhando em favor da divulgação da gloriosa história do nosso povo.

Atenciosamente

Professor Heliosandro Mattos
Ouvidor Parlamentar

Arquivos anexados

Esta solicitação ainda não contém nenhum arquivo anexado.

Ações do documento