Nova clínica de hemodiálise atende a pacientes renais de Vila Velha sem ajuda do Poder Público

A Tribuna Livre promovida pela Câmara de Vila Velha, durante a sessão desta segunda-feira (18/03) – por iniciativa do vereador Professor Heliosandro Mattos (PR) –, recebeu, como convidado, o coordenador do CEDRES (Centro de Doenças Renais do Espírito Santo), José Ubaldo Júnior, que também é membro do Conselho Regional de Enfermagem e que ocupa atualmente o cargo de Diretor Assistencial da CLINIRIM, a mais moderna clínica de serviços em nefrologia do Estado, que está funcionando na Rua Antônio Ataíde, no Centro de Vila Velha, visando suprir o déficit de leitos para a realização de hemodiálises na cidade.

Na abertura da Tribuna Livre, Heliosandro lembrou que até 2018, todos sonhavam com o dia em que Vila Velha daria conta de atender a todos os moradores da cidade que necessitam de hemodiálise para tratar suas doenças renais. “No ano passado, promovemos uma audiência pública sobre este assunto e hoje, o que era um sonho se tornou realidade, mas não graças ao Poder Público e, sim, pela incansável luta de beneméritos de setores da iniciativa privada, que abraçaram esta causa e que, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), conseguiram viabilizar este serviço em Vila Velha,  que representa um avanço histórico”, comentou.

e

Em seguida, José Ubaldo Júnior falou sobre a situação que predominava em Vila Velha até pouco tempo atrás, pelo fato de o Hospital Evangélico disponibilizar apenas 150 vagas de hemodiálise pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e outros convênios, e pelas limitações do CEDRES, cuja capacidade é de somente 60 vagas pelo SUS. “Hoje, em Vila Velha, há 400 pacientes que precisam de leitos de hemodiálise, enquanto apenas a metade deste contingente era atendido no próprio município. Os outros 200 pacientes estavam sem acesso à hemodiálise em Vila Velha e eram obrigados a tentar atendimento em outras cidades da Grande Vitória e do interior do Estado, muitas vezes sem conseguir”, informou ele.

Antes de se aprofundar no tema, o Diretor Assistencial da CLINIRIM falou sobre a importância dos rins e de suas funções para manter a saúde do corpo, e também sobre os fatores de risco que podem ocasionar o desenvolvimento e o agravamento das doenças renais.  “Cidadãos com mais de 50 anos de idade, fumantes, portadores de hipertensão arterial; diabéticos e pessoas com histórico familiar, maus hábitos alimentares e que ingerem pouca água diariamente têm maior propensão às doenças renais”, disse ele.

Em seguida, José Ubaldo Júnior disse que o Espírito Santo possui um total de 18 clínicas de hemodiálise e que todas são da rede particular. “Isso me levou a lutar para reverter o quadro, a começar por Vila Velha, onde as carências eram maiores e a necessidade de garantir vagas de hemodiálise a todos os pacientes renais nos motivou a elaborar um projeto, que tiramos do papel e que hoje é uma realidade no município, por meio do funcionamento da CLINIRIM. Esta clínica oferece hemodiálise, diálise peritoneal, preparo para transplante renal, tratamento conservador e ambulatorial aos pacientes da cidade. Trata-se do mais moderno centro de hemodiálise do Espírito Santo, que tem dois pavimentos com acessibilidade e quase 700 metros quadrados de área em sua estrutura física”, comemorou.

E José Ubaldo acrescentou: “Temos recepção, sala de espera com capacidade para 30 pessoas, consultório médico, consultório multidisciplinar (com nutricionista, psicólogo, enfermeiro, assistente social e fisioterapeuta), sala de emergência, dois grandes salões de hemodiálise, sala exclusiva para pacientes com Hepatite B, sistema interno de tratamento de água, sala de treinamento, sala de prescrição médica, sala de estoque e equipamento gerador de energia elétrica, para suprir possíveis quedas no fornecimento de eletricidade.  Oferecemos aos moradores de Vila Velha uma média de 250 consultas mensais com especialistas, mais 750 consultas/mês com a equipe multidisciplinar  e um total de 1.700 sessões mensais de hemodiálise, por meio de 20 máquinas com capacidade para atender até 120 pacientes. Mas isso ainda não é suficiente. Devido a esta razão, com menos de um mês de funcionamento já estamos elaborando um projeto de expansão dos nossos serviços”, disse o Diretor Assistencial da CLINIRIM.

Segundo ele, esta ampliação demandará investimentos da ordem de R$ 4 milhões, que vão totalizar mais de R$ 8 milhões de recursos próprios, sem nenhuma parceria com órgãos públicos. “Em Vila Velha, atendemos a um público que depende exclusivamente dos serviços prestados pelo SUS. Isso vem ajudando a desonerar os hospitais do município e a reduzir as internações. Mas ainda precisamos contratar serviços de terceiros, como bancos de sangue, laboratórios de análises clínicas e empresas de manutenção de equipamentos, além de mantermos em dia o nosso custeio, que é altíssimo. Só com o aluguel do imóvel nós pagamos R$ 6 mil por mês. Também gastamos mensalmente cerca de R$ 8 mil com o pagamento das contas de água e energia elétrica, outros R$ 30 mil por mês com os insumos e mais R$ 85 mil mensais com a folha de pagamento, sem falar nos impostos”.

A CLINIRIM iniciou suas atividades na última quarta-feira de cinzas, sem festa de inauguração, devido à falta de recursos, e sua atuação em Vila Velha tem sido digna de reconhecimento público. No final de sua apresentação, José Ubaldo exibiu vídeos no telão do plenário para mostrar o sofrimento dos pacientes renais na hora de conseguirem hemodiálise, para divulgar depoimentos de pessoas sobre as dificuldades de internação em Vila Velha, e para mostrar o alívio dos doentes a partir do funcionamento da CLINIRIM na cidade.

Após a participação do Diretor Assistencial da CLINIRIM, José Ubaldo Júnior, as vereadoras Patrícia Crizanto (PMB) e Tia Nilma (PRP) se pronunciaram sobre a inédita e surpreendente conquista realizada em favor dos pacientes renais de Vila Velha, que hoje já podem fazer hemodiálise no próprio município, sem precisar peregrinar por outras cidades do Estado. Patrícia citou o caso de um pai, morador da Região 5 de Vila Velha, cuja filha de 22 anos de idade faz hemodiálise desde os 15 anos, e que para conseguir realizar o procedimento, precisa ir ao Hospital São Francisco, em Cariacica:

“A doença interrompeu os sonhos desta moça e de sua família. Para poder cuidar dela, a mãe precisou pedir demissão do trabalho e o pai passou a prestar serviços autônomos. Agora, eles lutam para conseguir transporte junto ao Poder Público, para garantir a continuidade do tratamento da filha, que enfim ficará mais fácil e menos doloroso a partir do funcionamento da CLINIRIM em Vila Velha”.

 

Em seguida, a vereadora Tia Nilma (PRP) elogiou a dedicação, a perseverança e a determinação de José Ubaldo, ressaltando e reconhecendo a importância de seu esforço humanitário, de seu senso de solidariedade e de seu amor ao próximo, além de sua luta em prol daqueles que mais sofrem devido às falhas da saúde pública no Estado e em Vila Velha. Tia Nilma citou, ainda, uma passagem bíblica do Livro de Coríntios, que diz o seguinte: “Todo e qualquer esforço e sacrifício que fizermos, se não for por amor, será em vão”

Ela também parabenizou e agradeceu à equipe da CLINIRIM, em nome de todos os pacientes e familiares da cidade que estão sendo beneficiados pelos serviços ofertados pela clínica, e informou ao plenário, de modo emocionado, sobre o recente falecimento de uma irmã de igreja, que era uma amiga de muitos anos, devido a problemas renais.

Tia Nilma encerrou suas considerações demonstrando tristeza por ter acompanhado o sofrimento desta amiga, enquanto a doença dela se agravava. Por isso, a vereadora foi enfática ao salientar o espírito cristão de José Ubaldo Júnior, que é enfermeiro especializado em transplante de órgãos, hemodiálise e em gestão de serviços de saúde, com 11 anos de bons serviços prestados ao Hospital Evangélico e 15 anos de dedicação ao Centro de Doenças Renais do Espírito Santo e que agora, é protagonista da implantação da mais moderna clínica de hemodiálise do Espírito Santo, que fica em Vila Velha.

Clique no link abaixo e assista o vídeo desta Tribuna Livre na íntegra:
https://www.youtube.com/watch?v=ClTBCQ4CISc&list=PLeVAE3fsIniicM58559Y65uSQvIqWQyPk&index=10


Departamento de Comunicação
Câmara Municipal de Vila Velha 
Editor Chefe: Claudio Figueiredo
Imagens/vídeo: Eder Denadai
Fotos/Artes: Rayssa Rocha
Tel.: (27) 3349-3252
comunicacao@vilavelha.es.leg.br